Brasiliense bate o Ceilândia no primeiro jogo da final do Candangão – Brasiliensefc.com.br
brasiliense-bate-o-ceilandia-no-primeiro-jogo-da-final-do-candangao

Brasiliense bate o Ceilândia no primeiro jogo da final do Candangão

brasiliense-bate-o-ceilandia-no-primeiro-jogo-da-final-do-candangao

Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Na tarde deste domingo (2/4), o Estádio Abadião recebeu a primeira partida da final do Candangão 2022 entre Brasiliense e Ceilândia. O mando de campo era do Jacaré, que saiu com a vantagem para o jogo de volta ao vencer por 2×1, com gols de Marcão (artilheiro isolado da competição com nove gols) e Aldo. Tarta descontou para o gato Preto.

Com a vitória, o Jacaré agora joga pelo empate no próximo duelo para se sagrar campeão. Qualquer vitória por um gol de diferença do Ceilândia a decisão vai para as penalidades. As equipes voltam a campo no sábado (9/4), às 15h30, no Abadião.

O jogo

Com domínio do Brasiliense no campo de ataque, o jogo começou bem truncando, e as descidas amarelas não geravam grandes jogadas de perigo. A primeira boa chance aconteceu somente aos 15 minutos. Em uma excelente tabelinha, Zotti tocou para Aldo, que acionou Luquinhas livre no quando esquerdo da área, mas na hora da finalização o camisa 7 escorregou e bateu para fora.

A posse de bola era praticamente toda do Jacaré, mas o ritmo era lento e o jogo não fluía no setor ofensivo. O time amarelo só foi chegar novamente aos 25 minutos, mas foi efetivo. Zotti arriscou de fora e Medeiros desviou para escanteio. Na cobrança, o próprio Zotti levantou e Marcão subiu para cabecear com precisão e balançar a rede. Nono gol do artilheiro isolado do Candangão. 1×0 no placar.

O jogo do Jacaré passava todo pelos pés de Zotti. O meia controlava a bola tanto na defesa quanto nas transições ofensivas, e foi assim que descolou um excelente cruzamento para a área aos 33 minutos, mas a bola passou por Marcão e Gustavo Henrique que não conseguiram desviar para o gol.

As duas últimas chances de gol do primeiro tempo foram do gato Preto, que enfim conseguiu furar o sistema do jacaré. Aos 36, Tarta cobrou uma falta venenosa na entrada da área e Sucuri fez a defesa. Na sequência, em uma cobrança de escanteio, Vidal testou a com muito perigo por cima.

Segunda etapa mais emocionante

O Ceilândia não teve tempo para sentir o clima da segunda etapa. O Brasiliense chegou ao segundo gol com um minuto de bola rolando. Após a cobrança de escanteio de Aloísio, a bola ficou pipocando na área até Badhuga ajeitar para Aldo desviar para o fundo do gol aumentando a vantagem amarela.

Com a desvantagem, o Gato Preto logo se lançou em busca de diminuir o prejuízo. Aos quatro minutos, Tarta levantou para a área e Romarinho finalizou de canela por cima do gol. Três minutos depois, Tarta avançou pelo meio e acertou um chute de fora que morreu no ângulo direito de Edmar Sucuri. 2×1 no placar.

Após o momento do Ceilândia, o jogo voltou a ser dominado pelo Jacaré. Aos 11’, após a cobrança de escanteio de Aloísio, Gustavo Henrique subiu, mas acabou cabeceando por cima. Quatro minutos mais tarde, Goduxo fez um ótimo levantamento no segundo poste encontrando Aloísio, que chegou finalizando de primeira e Matheus Kayser foi no canto para fazer a defesa.

Aos 24’, O Ceilândia chegou ao empate com Hericlis de cabeça, mas o VAR acionou o árbitro Marcello Rudá para analisar o lance. Ao conferir no monitor, foi encontrada uma falta de Cabralzinho em Luquinhas no inicio do lance e o gol foi anulado.

O Jacaré se montou na defesa e o jogo teve poucas chances já nos acréscimos, quando as equipes já jogavam sem organização. Aos 44’, Tarta cobrou uma falta de longe que saiu com muito perigo. No minuto seguinte, a zaga do Ceilândia marcou bobeira e a bola sobrou com Marcão, mas Matheus Kayser interceptou no momento do chute.

O último lance de perigo do gol foi criado pelo Jacaré. Goduxo de frente para o gol soltou o pé e Igor fez o corte providencial desviando para escanteio. Após o lance, o Ceilândia tentou impor pressão nos minutos restantes, mas o placar de 2×1 permaneceu dando a vantagem para o Jacaré no segundo jogo.

BRASILIENSE 2 X 1 CEILÂNDIA

Candangão – Quadrangular final – Jogo de ida

02/04/2022, 16h – Estádio Abadião, Ceilândia-DF

Árbitro: Marcello Rudá

A1: Daniel Henrique

A2: José Reinaldo

4º árbitro: Matheus Moraes

VAR: Leone Carvalho

Ass. VAR: Rafael Diniz

BRASILIENSE

Edmar Sucuri; Andrezinho, Badhuga, Gustavo Henrique e Goduxo; Aldo, Ferrugem (Preto Costa) e Zotti (Aloísio, depois Erick Daltro); Luquinhas (Coquinho), Tobinha (Daniel Alagoano) e Marcão.

Técnico: Celso Teixeira

Gols: Marcão (26’ 1T), Aldo (1’ 2T)

Cartões amarelos: Aloísio, Marcão

CEILÂNDIA

Matheus Kayser; Crystian (Mirandinha), Vidal, Igor Medeiros e China (Romário); Gabriel Henrique (Werick), Tarta e Cabralzinho; Romarinho (Gleissinho) e Gabriel Pedra (Hericlis).

Técnico: Adelson de Almeida

Gols: Tarta (7’ 2T)

Cartões amarelos: Medeiros, Gleissinho

André Gomes/Brasiliense FC