Os pecados de Jesus: como o Mister foi de herói a vilão após deixar o Fla – Brasiliensefc.com.br
os-pecados-de-jesus-como-o-mister-foi-de-heroi-a-vilao-apos-deixar-o-fla

Os pecados de Jesus: como o Mister foi de herói a vilão após deixar o Fla

No Brasil, pelo Flamengo, Jorge Jesus teve vida de rei. Venceu cinco títulos, conquistou o amor incondicional da torcida rubro-negra e voltou para Portugal com o sentimento de dever cumprido. Lá, no entanto, à frente do Benfica, as coisas tem ido de mal a pior para o Mister.

A maré de azar esteve presente desde o jogo de estreia no comando do Águias. Em 15 de setembro, o Benfica enfrentou o PAOK, na fase pré-eliminatória, em um jogo que valia a permanência na Champions League, e acabou eliminado ao perder por 2 x 1. E esta foi só a primeira derrota.

Em 16 jogos disputados até esta quinta (10/12), Jesus perdeu três. No Flamengo, ele saiu derrotado apenas cinco vezes em 57 partidas. Os tropeços não ocorreram somente dentro de campo, mas principalmente fora dele.

Show de horrores

No mesmo dia, 30 de novembro, o português teve seu nome nos noticiários seguido por falas absurdas. Na mais leve delas, porém não menos inacreditável, Jorge Jesus disse que o falecido Diego Maradona “tinha paixão pelo jogo, nasceu para ser jogador de futebol”, mas ao mencionar Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, ele pisou na casca de banana.

Se referindo aos dois maiores jogadores dos últimos anos, o treinador do Benfica comentou em entrevista coletiva que seu conterrâneo tem “pouca” paixão pelo esporte, enquanto o argentino “não tem nenhuma”.

Em outro momento, ao ser entrevistado após o jogo contra o Marítimo, Jesus foi questionado por uma repórter sobre a qualidade do Benfica e respondeu: “Não tenho a mesma opinião que você. Também é natural que você não saiba o que é muita qualidade sobre futebol, não é?”. A fala repercutiu nas redes sociais, onde o português foi tachado de machista e ganhou alguns haters.

Já nessa terça-feira (8/12), dia que ocorreu o caso de racismo no jogo entre Paris Saint-Germain x Istanbul Basaksehir, Jesus deu mais uma declaração infeliz:

“Não sei o que aconteceu, eu não estava lá. Não sei o que se falou, o que se diz, mas hoje está muito na moda isso do racismo. Como cidadão tenho direto de pensar à minha maneira e só posso ter uma opinião concreta se souber o que se disse naquele momento. Porque hoje qualquer coisa que se possa dizer contra um negro é sempre sinal de racismo. A mesma coisa dita contra um branco já não é sinal de racismo. Está se implantando essa onda no mundo. Se calhar, até houve algum sinal de racismo com esse treinador, mas eu não sei o que disseram.”

Metade cheia do copo

Apesar das gafes fora de campo e da primeira má impressão, na eliminação da Champions, o treinador não está decepcionando a torcida benfiquista no âmbito do esporte. Na Liga Portuguesa, os Águias são os 2º colocados, enquanto na Liga Europa está invicto — três vitórias e dois empates em cinco jogos — e com a classificação para as oitavas garantida.

O Benfica entra em campo nesta quinta, às 14h55, para seu último compromisso pela fase de grupos da liga continental, diante do Standard Liège.

O post Os pecados de Jesus: como o Mister foi de herói a vilão após deixar o Fla apareceu primeiro em Metrópoles.