Jacaré não sai do zero contra o Vitória/ES e leva a decisão para a Boca do Jacaré – Brasiliensefc.com.br
jacare-nao-sai-do-zero-contra-o-vitoria-es-e-leva-a-decisao-para-a-boca-do-jacare

Jacaré não sai do zero contra o Vitória/ES e leva a decisão para a Boca do Jacaré

jacare-nao-sai-do-zero-contra-o-vitoria-es-e-leva-a-decisao-para-a-boca-do-jacare

Voltando ao Espírito Santo mais uma vez, o Brasiliense jogou na capital contra a equipe do Vitória-ES pelo duelo de ida da segunda fase do brasileirão da série D. Em um jogo bem movimentado e com clima de decisão, o Jacaré se comportou bem durante toda a partida, teve excelentes oportunidades para sair com o resultado positivo, mas a rede não quis balançar, levando o desfecho do duelo para o jogo da volta, em Taguatinga.

Equilíbrio no primeiro tempo

Debaixo de calor e muito barulho da torcida adversária, a partida começou de forma equilibrada. No ritmo “lá e cá”, as duas equipes criavam oportunidades para abrir o placar. Com liberdade e velocidade, o Brasiliense criou a primeira oportunidade clara de gol aos quatro minutos, quando, após rápida troca de passes, Romarinho ficou cara a cara, mas finalizou em cima do goleiro Harisson.

O Vitória, querendo dar o troco, chegava com perigo. Insistindo nas jogadas pelo meio campo. Infiltrando pela defesa do Jacaré, Carlos Victor quase abre o placar, após ver espaço na entrada da área e finalizar com força, mas pela linha de fundo.

Com mais posse de bola, o Brasiliense dominava grande parte da posse de bola durante o primeiro tempo. Tentando buscar o primeiro gol, a equipe amarela acionava o ataque, principalmente Tchô, Fabinho e Edno, que arriscavam a todo custo, obrigando o goleiro capixaba a trabalhar e realizar boas defesas.

Sem tantas emoções na reta final da primeira etapa, o jogo esfriou. Jogando com tranquilidade, o Brasiliense mantinha a posse de bola, mesmo jogando fora de casa e ainda deu mais um susto antes do apito final do primeiro tempo, com Edno, aos 44, que recebeu pela ponta, mas finalizou fraco, assim, dando números finais a primeira etapa sem a rede ser balançada para nenhum lado.

Jacaré domina, mas peca nas finalizações

No segundo tempo, as duas equipes voltaram na mesma formação. No mesmo ritmo do primeiro, o Jacaré continuava na pressão e na força de velocidade para chegar ao primeiro tento. Rodando a bola da esquerda para a direita, o esquadrão amarelo confundia a defesa adversária, conseguindo boas faltas na entrada da área, mas sem sucesso, na hora das cobranças.

Seguindo no toque de bola, o Jacaré teve a grande oportunidade de abrir o placar aos 20 minutos com Tchô. Após receber a bola na entrada da área, o meia finalizou colocado e forte no ângulo, mas a bola passou raspando a trave de Harisson, que só ficou no golpe de vista.

O tempo ia passando e o jogo foi ficando mais cadenciado. O treinador Ricardo Antônio começou a fazer mudanças, assim como Valdir Bigode, com o Vitória. Controlado mais no meio de campo, a partida ficou mais faltosa. Para o Brasiliense, no momento que o cronômetro andava, o empate fora de casa já estava de excelente tamanho, mas a equipe do DF não desistia das jogadas de perigo.

Mesmo com mais oportunidades claras, o Vitória se fechou na defesa. Com a estratégia de mais marcação, o Jacaré tocava a bola e valorizava o passe para segurar o empate. Apesar de três minutos de acréscimos dado pelo árbitro da partida, o placar teimou em terminar no 0 a 0.

Decisão na Boca do Jacaré

O empate sem gols, deixou o duelo aberto para ser decidido na Boca do Jacaré, no próximo domingo (23), às 15h30. Para o Brasiliense passar com tranquilidade, só a vitória interessa, qualquer resultado igual, levará o duelo para os pênaltis. O vencedor desse duelo enfrentará o classificado do confronto entre Ituano/SP x Caldense.

FICHA TÉCNICA

VITÓRIA/ES 0 X 0 BRASILIENSE

Brasileirão série D 2019 – 2ª fase – jogo de ida

15/06/2019, 15h, Estádio Salvador Costa, Vitória-ES

Público e renda: não divulgado

Árbitro: Leonardo Ferreira Lima/PR

A1: Luciano Roggerbaun/PR

A2: Weber da Silva/PR

Quarto árbitro: Rudimar Goltara/ES

BRASILIENSE

Edmar Sucuri, Alex Murici, Lúcio, Badhuga e China; David Manteiga, Aldo e Tchô (Peninha); Romarinho, Fabinho (Sandy) e Edno (Michel Platini).

Técnico: Ricardo Antônio

Cartão Amarelo: Aldo

VITÓRIA/ES

Herisson, Cassio, Ferrugem, Léo Breno e Emerson; Nick, Thiago, Watson (Henrique Ramos) e Carlos Victor (Vitinho); Baiano (Kaio) e Pernão.

Técnico: Valdir Bigode

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Lucas Bolzan

Jornalista BrasilienseFC.com.br